quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Monólogo

- Me diz um homem que você ache bonito.
- Pra quê?
- Eu quero saber.
- Afff. Bom, eu acho o meu vizinho bonito: http://www.flickr.com/photos/bozzi/124025111/
- Humm...e eu gosto do George Clooney: http://bit.ly/9Kiass

Foi mais difícil do que eu imaginava encontrar algum modelo que realmente me agradasse, os modelos de hoje em dia ou tem cara de menina ou tem jeito. Todo esse tempo perdido pra nada. Futilidades me enervam.
.
.
http://www.antalik.com/10-party-cakes-gone-horribly-wrong/

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

I thought once

People often say finding what gives us pleasure is the journey we should engage, the only journey. I agree in part, because I believe beyond that there is a whole new journey. And another, and another. Ones that change as we learn and grow. I see so much that others don´t see! And then I feel lonely. I´m still learning. True happiness is not from this world. What´s your lesson to learn?

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Eu ainda chego lá

Como poderemos conhecer os tipos encarnados que já se encontram nas derradeiras existências de esgotamento final dos seus venenos psíquicos para a carne?

“São as criaturas que, embora acometidas das mais terríveis molésticas, mantêm-se resignadas, pacíficas, brandas e conformadas. Atravessam a vida física transformando suas dores em verdadeiros hinos de beleza espiritual, animando com sua coragem até aqueles que sofrem muito menos e se conservam rebeldes e desanimados. Em geral, devotam-se profundamente aos ensinamentos de Jesus, haurindo nele as forças de que tanto precisam para não sucumbir nem incorrer em novas faltas cármicas. Essas renunciam às ilusões do mundo material e partem da Terra como as aves que se libertam do viscoso lodaçal, alçando o voo sereno para purificarem e lavarem o traje nupcial, que o espírito precisa depois nas eferas paradisíacas”. p.247

Fisiologia da Alma – Ramatis

domingo, 26 de dezembro de 2010

Passos para mudar

Existem aquelas pessoas que acham que os outros não podem mudar, mas se você mesmo encara as mudanças como algo constante em sua vida, essa realidade passa a ser possível nos outros.

Para mudar é preciso exercitar algumas ferramentas. A reflexão deve ser constante, juntamente com a observação das reações dos outros como as de si mesmo para com o mundo. A finalidade aqui é identificar os seus defeitos para então poder desenvolver estratégias para que a mudança ocorra.

E para refletir é preciso, primeiramente, ter em mente virtudes e defeitos para se poder categorizar o que for encontrando e reconhecendo como seus padrões de reações.

Eu venho aplicando esse método já faz algum tempo, buscando sempre aumentar o meu repertório do que seria correto e do que seria errado. Com o tempo, consegue-se identificar o que seria uma sensação de inveja instantâneamente, por exemplo, sendo possível fazer com que ela desapareça rapidamente. É como se eu fosse me sensibilizado, criando aversões ao que considero prejudicial.

Algumas virtudes: amor, ternura, coragem, otimismo, bondade, filantropia, renúncia.
Alguns vícios: ódio, pessimismo, avareza, medo, ciúme, inveja, melancolia, crueldade, egoísmo.

Quando eu me deparava repleta de pensamentos do que chamam “baixa vibração”, eu ficava um pouco perdida, não sabia como me livrar deles, mas com o tempo fui aprendendo a sublimá-los pela prática do bem.

Alguns vícios são mais difíceis do que outros, obviamente, e varia de pessoa para pessoa o nível que eles existem, porém, quando se percebe o exato momento que você consegue quebrar o ciclo e responder de outra forma, sente-se mais força para lidar com os vícios mais difíceis, é uma sensação que não tem preço.

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Infância II

Não sei por que essa informação me veio na cabeça. Eu lia velhas agendas minhas e lembrei da primeira vez que pediram para namorar comigo. Eu estava na 4ª série e recebi uma ligação enquanto fazia o meu dever de casa. Era um colega falando por outro colega e ele me pediu em namoro pelo outro. Engraçado que eu lembro até hoje a minha reação e o que senti quando ele perguntou. Eu não sei o motivo, mas eu me senti profundamente ofendida. Não lembro se cheguei a desligar na cara dele depois de dizer “não”, e fui reportar para minha avó. No dia seguinte, ficamos sabendo que eles tinham ligado para todas as meninas da sala e, aparentemente, uma delas tinha aceitado. Eu lembro dele tentando dar um beijo na boca da menina e dela virando a cara rs o “namoro” durou um dia, ou melhor, algumas horas.
.
.
Talvez você esteja aqui para me ensinar alguma coisa. Eu tenho quase certeza.
.
.
Hoje é véspera de alguma coisa?

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Limites

Ontem, na minha reunião semanal com a Débora, pudemos discutir alguns aspectos da personalidade dela e que precisam ser repensados. Geralmente conversamos nas terças-feiras, mas o contratempo de anteontem acabou contribuindo para abordarmos um assunto corrente.

Eu e a Nat somos muito diferentes da Débora em diversos aspectos, mas algo que parece ser comum a essa nova geração, é a persistência de contestar tudo. Minha mãe falava e raramente não acatávamos suas ordens ou sua negação em comprar alguma coisa. A Débora chega a ser irritante, ela quer sempre saber o motivo de um “não”, o que acaba sendo bastante desgastante. Eu ainda tenho mais paciência que minha mãe e, às vezes, consigo me fazer prevalescer. Ela chega a contestar até quando é hora de estudar! Meia hora de questionamentos. Eu não dou muita trela, mando e se não obedecer, já perde algum benefício e, logo, ela aceita.

Ontem falei seriamente com ela, já que algum incidente tinha acontecido quando estavam fora e elas já chegaram brigando. Claramente a Débora precisa de argumentos claros, e muitas vezes, minha mãe não os têm. E o conflito ocorre. Eu expliquei para ela que nem sempre conseguimos o que queremos, nem tudo tem resposta, e que a vida em sociedade exige que saibamos lidar com os diversos tipos de pessoas. E que, se a minha mãe não irá mudar, que parta dela a mudança, disse ainda que ela pode questionar, mas que questione apenas uma vez, porque se a resposta não vier de primeira, não virá na quinta vez que ela pergunta “por quê?”.

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Broken

I went out side as the world was calling
I laid back and the trees were talking
The wind was chilling the burning sun
And I got lost out there
Lost all my senses
Lost all my taste
Lost all myself
And I wondered....
What now?
How do I feel again?
How do I smile at nothing again?
How do I find my other side in me?
The world is still there
Still as always
Still as it should be
But the trees are mute
The wind is silent
And the sun is still burning

sábado, 18 de dezembro de 2010

Meio ambiente

Descobri um site de vestibular com vários textos curtos e interessantes sobre atualidades. Estou lendo vários para a prova de amanhã, só para ir com algum conhecimento de geografia, já que não pude me dedicar a essa matéria nos estudos.

O engajamento na área ambiental é urgentíssimo, e precisamos nos conscientizar e mudar nossas atitudes, pressionar as empresas e exigir mudanças de cima para baixo, e se eles se recusarem, que, pelo menos, cada um faça o possível, e, talvez, o somatório desses esforços seja suficiente para salvar o planeta.

“A luz do sol que atinge a Terra naquele ponto (Norte da África) durante uma única hora é suficiente para fornecer energia para toda a economia global, por um ano”.

Novos caminhos para economia ecológica.

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Memórias ou não

Você consegue lembrar do dia que percebeu que os seus pais não eram super-heróis?

Eu consigo lembrar claramente da sensação que eu tinha de que, quando se virava adulto, todos os problemas tinham respostas. E eu lembro exatamente do dia que isso tudo ruiu. Eu tinha lá meus 14 anos, e lembro que tínhamos ido para algum lugar longe de carro. Alguma coisa aconteceu aquele dia, algo pequeno, provavelmente algo insignificante, que me fez perceber que a forma com que eles lidavam com certas coisas não era nem de perto a melhor forma ou a única, percebi que eles tateavam as situações e apenas tinham alguns anos na minha frente. E essa consciência foi tão forte que cheguei em casa e escrevi uma poesia sobre essa nova descoberta. Acho que foi a partir desse dia, que me percebi como indivíduo, como alguém com meus próprios valores, moldada sim, mas começando a procurar os meus próprios caminhos.
.
.
“O espírito capaz de elevar-se às frequências vibratórias espirituais mais altas, que aceita o seu sofrimento como oportunidade de retificação espiritual e ajusta-se à bem-aventurança da resignação, também eleva o seu 'quantum' de luz interior e volatiza grande parte dos venenos aderidos ao seu perispírito. Expurga-os para o meio ambiente, num processo de sublimação psíquica, em vez de fluí-los completamente, pela carne mortificada. (...) Desde que o sofrimento e a dor são resultantes do desequilíbrio da ordem moral e do mau uso dos direitos espirituais, é óbvio que só o reajustamento espiritual poderia eliminá-los definitivamente da face da Terra. (...) A dor e o sofrimento resultam do desequilíbrio entre a alma e o sentido benfeitor e educativo do mundo e não de imposição draconiana do Criador”. p.252

Fisiologia da Alma - Ramatis
.
.
Uma perspectiva: “fomos criados simples e ignorantes”. Assim faz sentido o caminho eterno que devemos trilhar até a perfeição.

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Eu devia estar

...estudando.

E assim nasce um verbo...

Eu tuito
Tu tuitas
Ele tuita
Nós tuitamos
Vós tuitais
Eles tuitam
.
.
Quais os meios mais indicados para modificarmos para melhor o nosso Carma?
“O principal é o controle dos vossos pensamentos, palavras e obras, pois, à medida que reduzis ou modificais para melhor o vosso Carma do passado, é certo que também criais um novo Carma para o futuro, e este ser-vos-á tão amargo ou venturoso de conformidade com o Carma restante, das encarnações passadas e as causas que criardes no presente”. p.207


Fisiologia da Alma - Ramatis

sábado, 11 de dezembro de 2010

Um bom dia

...apesar da dor de dente.
.
.
Hoje o dia foi curioso...enquanto eu passei a manhã no ar condicionado estudando sobre o mercado de valores, a família foi fazer um programa de índio e que eu acabei sendo poupada. Passaram a manhã no calor, tiveram que lutar pela escassa comida, que, afinal, nem estava tão boa assim rs

Eu estava na aula quando o apagão ocorreu; lá no Centro, durou uns 15 minutos, só depois descobrimos que tinha sido um apagão maior do que imaginávamos, até agora não sei bem qual foi a extensão. Eu só sei que não pudemos voltar de metrô, sorte do Ricardo que eu sei andar de ônibus rs ele não fazia ideia de onde pegar ou mesmo qual serviria. Andamos e andamos no sol.

Fiquei feliz com as nossas trocas, acho que não foi por acaso que esbarrei com ele nesse curso, e espero, sinceramente, que ele perceba as possibilidades que eu pude lhe trazer. É realmente difícil perceber os nossos defeitos e mudar. Eu me sinto tão mais segura de certas coisas depois desse ano de 2010! Eu desejaria toda essa experiência para toda e qualquer alma, e é possível, é só querer.
.
.
“O Carma é a lei benfeitora que indica o caminho certo ao viajante despreocupado ou teimoso, corrigindo-lhe os passos titubeantes e os desvios perigosos, a fim de ajustá-lo mais depressa à sua ventura imortal. A humanidade terrena já se encontra suficientemente esclarecida para compreender que o seu sofrimento decorre, em particular, das suas infrações contra a Lei que justamente opera em seu favor!” p.204

Fisiologia da Alma – Ramatis

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Inside

Just like a summer rain
That comes and goes
Umpredictable
Heavy
Noisy
Fast as a lightining
Purifing the hot air
Falling in our skin
Warm and happy
Who doesn´t smile at a summer rain?
.
.
A chuva de hoje merecia uma foto, a imagem ficaria linda: nuvens cinzas de um lado, nuvens brancas do outro, deixando manchas azuis visíveis, e uma faixa de luz amarela iluminando a montanha. Pena que eu não tinha máquina pra fotografar o momento. Ele vai morrer comigo, só comigo.

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Fuego

Eu precisava de alguém que me dissesse que estou errada, alguém que me desse um soco na cara pra eu acordar. Uma discussão acalorada que terminasse em *impublicável* E o fogo arde. Ainda bem que tudo passa.

Em processo de transformar isso em outra coisa.

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Reprima-me

Julgar pessoas pressupõe acharmos que somos melhores que os outros, se fossemos, não estaríamos aqui. Devemos julgar nossas ações e nossos pensamentos e não esquecer de nos perdoar.

sábado, 4 de dezembro de 2010

Casa da Ciência – Alphaville (1965)

Depois de três meses sem conseguir comparecer à Casa da Ciência da UFRJ, consegui ir na última sessão do ano! \o/

Bom, primeiramente, gostaria de falar um pouco sobre minhas impressões sobre o filme...acredito que foi o meu primeiro filme do Godard, e já gostei do estilo dele. Bom, gostei das ideias apresentadas, só não dei nota maior por causa justamente do incômodo intencional do diretor. O que mais me perturbou foi a voz carregada e arrastada do Alfa 60, o tom de sua voz era de enlouquecer!

A palestra do Jorge Vasconcellos foi um incentivo bacana para buscar mais filmes do Godard. Jorge o chamou de “cineasta número 1”: àquele que se encontra entre o Moderno e o Contemporâneo. Jorge também destacou pontos essenciais para a estética da obra de Godard como um todo – a exarcebação de clichês, o entre imagens, o som, a verborragia, a paródia, o plágio, o jogo de signos e referências. Alphaville mostra claramente dois estilos: a ficção científica e o filme noir.

O palestrante falou também da recusa de Godard em trabalhar com a metáfora, sendo o seu estilo marcado pelo retrato do estado de coisas. Em Alphaville, podemos ver o futuro muito parecido com o presente, podemos identificar a ideia de libertação, a luta contra o autoritarismo, as críticas às formas de dominação. Em sua obra como um todo, Godard faz uso de fragmentos filosóficos, da potência das imagens, das “entre” imagens, revelando o dispositivo cinematográfico. A sua fotografia nos passa um clima opressivo, incômodo, buscando criar beleza no horror.

Eu gostaria de rever o filme sem som, ou mesmo, ler só o script. Ficou a sensação de querer rever só para decodificar as referências e extrair a poesia.

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Oração de São Francisco de Assis

Senhor, fazei-me instrumento de vossa paz.
Onde houver ódio, que eu leve o amor;
Onde houver ofensa, que eu leve o perdão;
Onde houver discórdia, que eu leve a união;
Onde houver dúvida, que eu leve a fé;
Onde houver erro, que eu leve a verdade;
Onde houver desespero, que eu leve a esperança;
Onde houver tristeza, que eu leve a alegria;
Onde houver trevas, que eu leve a luz.
Ó Mestre, Fazei que eu procure mais
Consolar, que ser consolado;
compreender, que ser compreendido;
amar, que ser amado.
Pois, é dando que se recebe,
é perdoando que se é perdoado,
e é morrendo que se vive para a vida eterna.

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Numa quarta-feira qualquer

- Mãe, alguma vez o papai já pediu desculpas para você por ter sido grosso?
- Sim, já.
- Acho que ele esqueceu como se faz, porque eu nunca vi.
.
.
Sabe qual é o segredo para concluir bem uma tarefa chata?
Não resmungar e forçar-se a fazê-la com um sorriso no rosto.
.
.
Adoro olhares de cumplicidade!

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Lágrimas de gratidão

Por causa do tratamento no Centro espírita, tenho feito preces com mais frequência. Ao final do dia agradeço a Deus pela oportunidade de evoluir, peço perdão pelas minhas falhas, enumerando-as, agradeço tudo que tenho – minha família, minha casa, a comida que tenho – e, finalmente, peço força de vontade e paciência para continuar mudando, assim como proteção para o meu sono.

Meses atrás, em um desses momentos de autoanálise, vivenciei um sentimento muito forte de gratidão pela minha família, pelas minhas oportunidades e pela minha situação atual. E desde então, eu faço minha prece diária, analiso o meu cotidiano e busco, novamente, sentir a gratidão, o que, na verdade, descobri não ser fácil.

Na noite de segunda-feira, eu buscava mentalizar as dádivas que tinham reproduzido o tal sentimento de gratidão, mas eu nada sentia, permaneci então em meditação, tentando abrir os meus canais de energia; até que agradeci pelo conhecimento adquirido na cromoterapia, esta que tinha ocorrido algumas horas antes.

A gratidão me atingiu de maneira tão forte que não pude conter as lágrimas, agradeci por todos os ensinamentos espirituais que tenho estado em contato; senti-me grata pela minha liberdade de questionar e pensar. Naquele momento, eu senti que tudo daria certo, consegui enxergar um caminho possível, um propósito maior e que parecia florescer de dentro de mim. Algo que já estava comigo, mas que tinha adormecido. E com a sensação de conquista, a felicidade velou meu sono.

terça-feira, 30 de novembro de 2010

A inspiração que volta!

Minha mãe ontem estava inspirada: achou uma blusa da minha irmã e R$ 15,00 meus que eu tinha perdido =D
.
.
Na Cromoterapia de ontem falaram sobre a evolução de Jesus e interpretaram a parábola de Lázaro e o rico. Um tempo atrás eu quis ler sobre a vida de Jesus, mas não a Bíblia; eu queria ler algo que tivesse a vida de Jesus pela visão espírita, e ontem achei o livro que queria: “Sublime Peregrino” de Ramatis, será minha próxima leitura espírita.

Eu tenho feito assim há alguns meses, leio dois livros ao mesmo tempo, um espírita e outro de literatura – o esquema tem funcionado bem.
.
.
Já tenho quatro ideias de postagens para os próximos dias, agora só preciso de ócio pra escrever.

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Leve e fluida

Não parece estranho pedir proteção divina para aqueles que vão para guerra? Proteção essa para não morrer enquanto se mata o inimigo.
.
.
“O nosso azar foi que você tinha medo e eu não sabia o queria”.
.
.
Quem aí está preparado para cozinhar no verão?! 32 graus aqui no quarto o.O
.
.
Eu estou precisando me apaixonar de novo.

sábado, 27 de novembro de 2010

Hipocrisia?

Às vezes eu gosto de me atacar.
.
.
“É óbvio que as principais providências para o alevantamento moral e libertação dos vícios e das paixões perigosas da Terra teriam que partir primeiramente dos vossos próprios maiorais ou responsáveis pelo comando das massas. Entretanto, é fácil verificar que os dirigentes do vosso mundo não se interessam com seriedade pela solução desse e de outros cruciantes problemas, pois não lhes sobra tempo para tal, preocupados como estão com as conquistas terrenas e até com a conquista do Espaço, curiosos, também, por saber o que se passa em outros planetas!” [Fisiologia da Alma – Ramatis]

Curiosamente tenho estado um pouco sensível a julgamentos alheios, no sentido de me sentir mal ao ouvir alguém criticando outra pessoa; chega a ser físico, um desconforto com uma força inédita. Por que não podemos ver o lado positivo das coisas? Nesse texto acima, senti-me um pouco enojada com o desprezo explicitado por nós que somos imperfeitos.

Bom, relendo, agora, talvez o texto esteja mais para o lado realista...talvez eu esteja colocando chifre em cabeça de cavalo. Ah, quer saber, não sei mais o que pensar.

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Feliz aniversário, vó!

Quando chegamos na vovó, uma velhinha segurava um ursinho de pelúcia, achei fantástico! Ele era encardido e ela segurava como se fosse uma menininha. Enquanto passávamos para chegar até a vovó, a velhinha ao lado da que segurava o ursinho já foi estendendo a mão, pronta para agarrar a primeira pessoa que passasse. Atenta, eu desviei. A Débora não foi tão sagaz...rs A velhinha perguntou se a pedrinha da blusa dela era de ouro e pediu uma o.O E ainda sugeriu que ela deixasse o cabelo crescer e que pintasse de louro rs

Quando nos despedimos da vovó, passamos de novo pelo mesmo caminho, e a velhinha gananciosa me pediu um beijo de despedida! Tive que dar, né?! E a velhinha do lado, não queria ficar de fora, afinal, era beijo de graça rs “eu quero um beijo também”. E lá fui eu rs A Nat também não deu sorte, a velhinha que a parou e agarrou pelo braço pediu que ela deitasse no colo dela o.O


É sempre divertido visitar a vovó! =)

Visitando a vovó ~ Dia das mães na vovó

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Caos no Rio

Hoje foi um dia diferente. Fui pra aula de manhã, teve festinha de aniversário da vovó de tarde e eu ia na colação da Livinha, depois íamos pra Lapa, ver o show do Lenine de graça. Só que o terrorismo que anda solto pela cidade me impediu. Ainda na festinha, pessoal já falava que iam fechar o metrô e que vários ônibus tinham sido queimados aqui perto de casa o.O Japa postou um mapa do Google com todas as atividades terroristas que vêm acontecendo. Pior que ouvi dizer que não é só ação de bandido, mas também da polícia – o que não duvido nada.

Era pra eu estudar então, mas passei a tarde toda preparando um material de inglês pra estudar com a Débora amanhã, seis folhas de exercícios! Só fui chegar perto do computador e da Internet agora, 8 da noite.

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Lidos 2009

Minha lista de livros de 2009 foi espetacular! Acho que consegui minimizar os livros descartáveis e fiquei bastante satisfeita com o resultado. Li Kafka, Borges, Cortázar, Lispector, Ray Bradbury...foi realmente um ano especial. Além dessa lista regular, li ainda inúmeros livros para a monografia, então foi um ano bastante atarefado.

  1. Vida Antes da Vida de Sarah Hinze
  2. Felicidade Clandestina (contos) de Clarice Lispector
  3. Fahrenheit 451 de Ray Bradbury
  4. A Vida Íntima de Laura de Clarice Lispector
  5. A Mulher que matou os Peixes de Clarice Lispector
  6. Páginas de Sombra (contos) de Jorge Luis Borges
  7. Caminhos Espirituais: Livre Arbítrio de Jan Val Ellam
  8. Ficções (contos) de Jorge Luis Borges
  9. Elogio da Sombra (contos) de Jorge Luis Borges
  10. O Encontro Marcado de Fernando Sabino
  11. O Informe de Brodie (contos) de Jorge Luis Borges
  12. O Livro de Areia (contos) de Jorge Luis Borges
  13. Borges o mesmo e o outro de Álvaro Alves de Faria
  14. Conhecer Borges e a sua obra de Marcos Ricardo Barnatán
  15. O Estrangeiro de Albert Camus
  16. Carta ao Pai de Franz Kafka
  17. O Apanhador no Campo de Centeio de J.D. Salinger
  18. Fortaleza Digital de Dan Brown
  19. A Vingança do Judeu de Wera Krijanowsky
  20. Os Lobos dentro das Paredes de Neil Gaiman
  21. Tudo o que Sei Aprendi com a TV de Mark Rowland
  22. Quando Nietzsche Chorou de Irvin D. Yalom
Mais a bibliografia da minha monografia.
Lidos 2008 ~ Lidos 2007

terça-feira, 23 de novembro de 2010

O poder do pensamento

“Eu não estou cansada. Eu transbordo energia”.

Desde segunda-feira, tenho usado as palavras para criar um novo padrão de pensamento. De manhã, eu estava cansada, mesmo depois de uma boa noite de sono, e me vi diante de alguém que parecia outra pessoa. Repeti as palavras acima algumas vezes, e não é que fez efeito? Agora é só transpor para qualquer área da sua vida. Mudança de atitude é o lema.
.
.
Cromoterapia: gostei das palestras e da cantoria ;) Como não podia deixar de ser, algumas de minhas inquietações foram acalentadas.

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Seja positivo

Eu me dissocio, como um cientista que observa a sua experiência, o rato branco percorrendo o labirinto. Ao mesmo tempo que sou o cientista, sou o rato – divido-me. Vejo caminhos sem enxergar o fim. Vejo o caminho já percorrido e o que ainda está por vir. Paraliso. Como unir os dois? Como escolher entre um e outro? Como ser o que já se foi? Não há volta. Não há o que seguir. Não há o que perseguir, quando as possibilidades se esgotam. Reprogramar, mas com que dados? Com que combustível?

domingo, 21 de novembro de 2010

Peça, por favor

Meses atrás eu me sentia plena, e agora, não mais. O que mudou? Meses atrás eu fui me alimentando de novidades, o que me leva a pensar sobre a insatisfação com a rotina. Mesmo que seja uma boa rotina, sempre falta alguma coisa, sempre queremos mais. Essa sensação pode ser um pouco desgastante, por isso que inventaram as férias. Eu sinto falta delas.
.
.
Aí está, o amigo que tem me acompanhado. Eu queria poder dizer que a leitura me estimula, mas eu estaria mentindo.

.
.
Boa peça, ótimos momentos: Antes da Coisa Toda Começar.

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Amo sentir!

“Two sides, two minds, two wills. We were two and then we were one. How could you decide our destiny without me? You killed yourself cause you couldn´t deal with the pain, did you think we couldn´t deal with the pain together? You killed our chance, and I will carry this scar forever, when we could have found comfort on each others flaws.”


Inspired on Sunil

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Perdi o jeito?

Faz tempo que não me encontro na situação em que estou. Quando nada consigo expressar. Eu não sei se é falta de foco, se é cansaço ou se é falta de estímulos. A verdade é que faz tempo que eu não tenho a sensação de dever cumprido. Na escola e na faculdade, acabava o período de estudo e chegavam as férias, vinha aquele alívio, aquela descompressão.

Esse ano não foi assim, e parece estar longe de acabar. Cada vez mais diminui o espaço dentro de mim para fluir coisas, como se a minha expressão e a descontração estivessem sendo expremidos em algum canto. Talvez agora seja culpa de hormônios; afinal, de alguma forma, consegui formar estes parágrafos. Eu estou um pouco sem ar, apática, sem vontades. Eu queria estar mais alegre, mas faltam motivos.
.
.
Você sabia?
Na natureza, existe um mecanismo de contingência de população de animais: se houver grande número de ratos em uma ninhada, eles começam a apresentar comportamento homossexual, para assim, evitar mais filhotes. Fonte: meu pai (ele deve ter visto em algum documentário).
.
.
Mordi minha língua. Eu tinha dito que tinha detestado o paciente Jesse da 3ª. temporada da série “Em Terapia”; realmente era um personagem muito revoltado para o meu gosto, pelo menos de iníco. Até cheguei a dizer que não assistiria os seus episódios, porém, agora, menos agressivo, demonstrandos apenas as incertezas e medos, ele parece uma boa pessoa. Ainda bem que não dei ouvidos ao meu preconceito.

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Encontre as palavras!

Para quem assiste "Castle", talvez o jogo ficasse mais legal, pois são palavras típicas de episódios. Eu poderia deixar ele mais interessante sem dizer quais eram as palavras, mas resolvi deixar o jogo mais fácil, já discriminando as palavras a serem encontradas. Divirtam-se! Ou não...

domingo, 14 de novembro de 2010

Persistência

Cantodosaber: "Calando-te sempre, darás lugar à injustiça." Publílio Siro

Essa frase me lembra a sensação de fraude que teve o concurso do DPE/RJ, último que fiz. Eu tinha ficado revoltada e resolvi fazer algo a repeito, fazer denúncia ao MP, como outras pessoas fizeram. No entanto, escolho minhas batalhas, e esta não é uma delas.

Resumidamente, o que mais chamou minha atenção na aplicação da prova foram os cartões-respostas identificados, uma grande brecha para fraude. Fora isso, o mínimo para passar era acertar 70 em 100; após os recursos, sete questões foram anuladas e fiquei com 65 pontos. Bati na trave. Arrisco dizer que com um mínimo tão alto para passar, não conseguirão nem preencher as vagas disponíveis. Para o nível superior, o nível médio ainda não liberou a lista por algum erro qualquer, passaram 240 pessoas de 12.632 candidatos que fizeram a prova.

Em um concurso normal, o mínimo para passar teria sido 50% da prova e eu teria ficado até não muito ruim numa classificação. O jeito é continuar estudando.

Edit: Hum, saiu a lista. Na verdade minha colocação não ficaria nem um pouco boa (rs), eu ficaria em 1390º. Pra se ver a diferença que 5 pontos fazem. Foram 332 aprovados e ainda tem mais 186 habilitados.

sábado, 13 de novembro de 2010

blank

I hit a wall, and that´s all.

domingo, 7 de novembro de 2010

Conto

Na mesma época que mandei um conto para O Globo, participei de dois concursos do Paraná, um de poesia e outro de contos; o resultado saiu, não fui selecionada em nenhum...agora eu posso postar eles.

Dois em um

C. saiu de casa em direção à sua árvore favorita, arrastava um carrinho com alguns de seus tesouros: uma boneca, revistas, um livro de histórias de crianças. Este último, ela tinha ganhado na escola, de uma professora. O sol já estava alto, e a sombra da mangueira proporcionava um frescor único.

Sentada na grama rala, começou a tirar do carrinho os seus bens, tratando-os com o carinho que mereciam, um a um era tocado, sentido e apreciado. Dali a alguns minutos, já estava absorta em alguma brincadeira que era 99% imaginação, nem ouviu chegar o pequeno vizinho.

G. caminhava pelo muro e tinha uma vareta na mão, e devia estar brincando de qualquer brincadeira de menino. Ele acabou reparando em C., que estava embaixo da árvore mais próxima do muro, e parou, cruzou os braços, encheu o peito e ficou olhando um tempo para a menina, com ar de guarda. Quando ela percebeu a sua presença, as palavras saíram como se um instrumento fosse:

- O seu orgulho me fere.

E ele retrucou no mesmo tom, como se sua boca tivesse vida própria:

- A sua bondade me fere.

Como se repelidos, cada um continuou o que estava fazendo, antes daquela manifestação impensada. Com a vareta, G. começou a bater no muro, distraído, como se estivesse martelando, mas sem pregos. C. que já não mais estava só e percebia a presença do menino, foi-se irritando com aquilo e não se aguentou:

- Por que você me irrita? – ela perguntou em voz alta, mais para si do que para o menino.

- Você estava melhor sozinha? Você acha que eu destruo sua tranquilidade? A vida é assim.

- De onde será que vem essa repugnância, G.?

E ele deu de ombros, pois não sabia a resposta.

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Boa noite

Não se enganem, muito do que eu escrevo tem o intuito de me convencer. Eu penso enquanto escrevo e mudo de opinião o tempo todo, pois que novas informações estão sempre chegando e enriquecendo o pensamento.
.
.
Hoje de tarde me veio uma sensação engraçada, uma palavra me veio na cabeça, eu sabia que era uma palavra, no entanto, não sabia qual, ela aparecia embaçada, e veio de repente, como se fosse um sonho se fazendo presente. Fiquei intrigada.
.
.
Amanhã dia cheio: aula e casamento. Boa noite!

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Menos carne

“(...) melhor um carnívoro evangelizado do que um vegetariano anticrístico.” [Fisiologia da Alma – Ramatís]

Eu tenho percebido a influência da carne na minha alimentação, sinto-me mais pesada e com sensações exacerbadas. Essa semana devo ficar 4 dias sem comer carne; pra quem come alguma todo dia, espero conseguir identificar benefícios para o corpo e para a mente. Escolhi almôndega de soja e assado de berinjela para começar.

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Filosofando

Adoro dialogar com crianças, especialmente com a Débora; gosto de fazê-la pensar e ouvir suas opiniões. Ela sempre foi muito curiosa e isso ajuda a ensinar. Adoro desenrolar sobre ética e moral, ela mostra-se aberta a conselhos e direcionamentos, e eu fico feliz de poder alimentá-la com questionamentos. É ótimo perceber a sua linha pensamento funcionando, as conclusões tiradas, as inquietações ingênuas, muito melhor ter esse tempo para nós do que passar o tempo vendo televisão ou no computador. Ontem ela me perguntou o que eu achava da afirmação de Aristóteles de que o governo deveria ser regido pelas melhores leis e não pelos melhores homens...e a conversa rendeu.
.
.
Saudades.

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Amigos

Apesar de eu me isolar com mais frequência diante das circuntâncias da vida, consigo perceber que estar cercada de pessoas é a melhor forma de enfrentar o dia-a-dia.

Obrigada ao Pedro e ao Bizonho por alegrarem essa tarde chuvosa ;)

domingo, 31 de outubro de 2010

Duo

31/10/10

Algo me impele
Algo me repele

Penso sim

Escolho palavras
Escolho silêncios

Digo não

Não sei se parto
Não sei se fico

Penso sim

Quero esquecer
Quero lembrar

Digo não

Eu te amo
Eu te odeio

Penso não
Digo sim

sábado, 30 de outubro de 2010

Sem vontade de falar

Eu ia fazer campanha contra o Serra, expor os motivos que me fazem votar na Dilma para não votar nele .

Eu ia postar um jogo de caça-palavras que fiz de Castle.

Eu ia falar da importância de relembrar a história política do Brasil, quando estamos tão perto de decidir nosso próximo governante.

Eu ia falar das maravilhas que o kung fu faz para o corpo.

Mas hoje nada quero dizer. Eu culpo o calor, mas talvez eu mesma seja a culpada.

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

The bus ride

“She had been waiting for a bus to arrive for half an hour, it was almost 10 pm of a rainy day. When the bus finally came she felt so fortuned and blessed, she was at last heading home. Ten minutes later, the rain started to fall again and another passangers were as gratefull as she was when the driver came, at that moment he was their guardian angel. She picked up that energy and was surprised to feel connected to all those strangers, like they were all being saved from the dark and cold. The change in her began, she was smiling and peacefull when, suddenly, she saw a bright light coming towards the bus she was in, and she thought to herself “It´s time”, and then she was dead. It was not the end, it was just the beginning. An hour later, she got off the bus with new and refreshed values, holping she would not ever stop changing- untill she could reach being pure, pure as- she wouldn´t know, but she was sure eventually she would, when the time was right. For now, she was pleased just to hope for being “pure as”, that was enough at that time and a long way to go.”

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Montanha-russa

Fico desconcertada de gostar de tanta gente ao mesmo tempo. E é tudo tão volátil! Os sentimentos, as vontades e os desejos vêm e vão com uma rapidez que acabam comigo. E eu lembro daquele provérbio que diz que quem tudo quer com nada ficará ou algo do tipo. Só que eu não consigo evitar!
.
.
Mais do que nunca, eu me sinto uma pessoa dentro de outra pessoa, resistindo ao que penso e ao que sinto. Acho que eu preciso ter uma conversa comigo mesma para deixar as coisas mais claras; um dos lados tem que prevalescer, não dá pra ficar em cima do muro, sendo puxada de um lado para o outro! A cada hora, cada segundo penso coisas diferentes, diametralmente opostas e nada é decidido, gero atritos internos infundados e acabo ficando um bom tempo ocupada comigo mesma. Isso não pode ser bom.
.
.
“Comer, rezar e amar” me ajudou com alguns pontos de vista, gostei de algumas cenas especificamente e só, apesar de a mensagem ser válida de todo.

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Reverso

“Enquanto você pensa
Em me beijar
Eu penso no jantar”

Te amo pra sempre -Kid Abelha
.
.
“Pausei minhas frases, cada palavra com um peso preciso; elas saiam da minha boca de forma saborosa, e não pude evitar sorrir ao final da conversa, revisitando antiga zona de conforto, antigo amigo”.

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Pedido atendido

Semana passada eu pedi por um sinal, pela segunda vez, reforçando o pedido de que estou no caminho certo. Acho que de certa forma fui atendida...apesar de ter sido pela negação. Eu me vi em uma situação que eu definitivamente não quero para mim, ratificando, então, o caminho que venho trilhando.
.
.
Gostei tanto do capítulo 22 de “Noite e Dia” que fiquei com muita vontade de reler assim que o terminei de ler, são reflexões que me afligem constatemente.

“– Katharine, eu a venero – disse William, quase num susurro.
- Sim – replicou ela, encolhendo-se com um pequeno calafrio –, mas você tem de abrir a porta.”
.
.
Não adianta, por mais que achemos que tenhamos acertado estaremos sempre errados, faz parte da imperfeição do espírito.

domingo, 24 de outubro de 2010

Festa a fantasia

Em festa de nerds, às vezes, é difícil identificar os personagens rs mas até que eu conhecia uma parte...


Um momento da festa, luta dupla, o boneco palito do Japa ficou muito divertido! Mestre Kame fez grande sucesso e as fantasias do Fernando e do Luis eu não saberia dizer quem são hehe

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Adote! [Animais doentes e filhotes]

O grupo GARRA passa por uma circunstância serrísima, diante da situação sentiram-se obrigados a resgatar inúmeros animais de uma casa com 60 animais, entre cães e gatos. A senhora de boa intenção resgatava animais, mas não conseguiu dar conta de tantos; cães não castrados se misturaram e inúmeras ninhadas estão nascendo.

Doze filhotes e uma gatinha com tumor foram resgatados, mas outros, que continuam lá, se encontram desnutridos, doentes (infecção no olho, TVT) e outros problemas. Visitem o blog deles e busquem saber mais sobre a situação, o grupo tem feito um ótimo trabalho, conseguindo boas casas para cães que antes não tinham chance de sobreviver. É uma causa que vale a pena abraçar, doando um pouco do que se tem.

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Inutilidades que nos salvam

Depois de uma leitura pesada como “A maçã no escuro”, descobri um livro levíssimo e impossível de resistir, “Noite e dia” de Virginia Woolf. Estou ansiosa para saber se a Mary se apaixonará afinal por Ralph, e se este irá conseguir ser menos rude com a Katharine, que por sinal não pensa em casar.
.
.
Eu tenho uma mania engraçada, eu não sei se é algo comum, nunca perguntei para outros alguéns se também fazem isso. Às vezes eu vejo alguém na rua, qualquer pessoa, e imagino como é sua casa, como é sua vida, onde trabalha, se tem família grande ou pequena, se tem algum bichinho de estimação, se costuma viajar, se faz almoço de domingo com a família reunida...é gostoso fazer isso, eu sempre acabo com uma sensação de nostalgia, sei lá por quê.

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Instantes

Feliz por ter levantado hoje, por ter saído da cama mesmo com o tempo propício para dormir. Sabe o que isso significa? Ainda existe uma vontade que me guia, algo pelo que eu acredito valer a pena levantar. Fico feliz também por conseguir ser tocada pela palavra, pela poesia que experimento, pelo o que é escrito e, principalmente, pelo o que não é dito. Eu não quero me iludir, enquanto alguns só conseguem viver se enganando, eu me regozijo quando consigo desconstruir velhos valores engessados. Somos melhores do que isso, ou pelo menos podemos ser, é a possibilidade que coloca um sorriso no meu rosto.

Texto expurgado ao som de Sara Bareilles [Little Voice].
.
.
Gib: I won´t forget this.
Alison: Yeah, you will, but I´ll remind you.

[The Sure Thing (1985)]

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Trois Couleur: Rouge (1994) *****

Eu queria ter encontrado os diálogos em francês, na falta, vai em inglês mesmo, apesar de as palavras perderem a força e a beleza do que seria na língua original.

Stay a minute.
Why?
The light is beautiful.
.
.
Will you sit down for a moment?
Will you smile for me?
.
.
Have you ever loved?
Yesterday l dreamt...I dreamt of you.
.
.
You knew the invitation came from me?
I'd hoped so.
Did you look for me?
During the entire show.
.
.
I feel something important is happening around me.
And it scares me.
.
.
Maybe I never met the woman...
Maybe you're the woman I never met.

domingo, 17 de outubro de 2010

As Cariocas: Clarissa, a atormentada da Tijuca

Haha! Nem preciso dizer o quanto essa personagem me parece uma brincadeira do destino. Logo a primeira na foto abaixo.

.
.
Disconnected

She had opened a door. The path was dark and scary, and she was sure, in the beginning, she was sure she was strong enough. She was strong to fight anything that could come her way. That´s what she thought in the beginning. Now she wasn´t so sure anymore. She felt fragile. She could really use some help from…anyone! She could not fight demons alone. She needed someone, someone she didn´t know…yet. And she was afraid she would never.

sábado, 16 de outubro de 2010

Poetry

Exorcism
15/10/10

The mystery is beneath me
I can feel it
Hidding away
In the corners of my being

I can taste it
It´s bitter
And it makes me nauseous
Bouncing up and down
Laughing at me

It looks like a shadow
Too fast
Too fast
Too fast to catch

Sometimes it just desappears for a while
And it comes back, out of the blue
And it pulls me down
Down to the ground

It makes my face twist
And my teeth-
They feel like falling
And I have to throw it away somehow

Throwing it away
Throwing it away
It away
It away
Away
A-way

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Convença-me

Ouço passos no andar de cima e, incompreensivelmente, sinto um aperto no coração. Temo pelo desconhecido, temo pelo que está por vir, mesmo que seja o nada. Minha mente cria os monstros que me assombram, quando a realidade pode nem ser assustadora. Penso no pior, quando deveria pensar em coisas boas, prender a atenção no lado positivo e otimista das pessoas. Exercício diário para me libertar, necessário nos momentos de ócio, quando a imaginação voa mais alto, e não necessariamente um bom voo. Atenção. Let it be.
.
.
“Às vezes tenho a impressão de que meu destino é apenas ter um pensamento que ainda não tive. Anseio por esse acontecimento, sim, mas ao mesmo tempo tenho feito tudo para adiá-lo, não sei como lhe explicar. Eu até tenho saudade deste tempo de agora, em que vivo sem ele – pois me habituei a um modo em que pelo menos cada coisa está, bem ou mal, num lugar. Várias vezes senti que se eu deixasse, mas realmente deixasse o acontecimento se aproximaria. Mas como tenho medo, evito. (...) Eu não sei sequer que acontecimento era, porque quase antes de senti-lo, eu já o reconhecia – e sem mesmo me dar o tempo de saber-lhe o nome, eu por assim dizer já tinha caído de joelho diante dele, como uma escrava.”

LISPECTOR, Clarice. A maçã no escuro. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1978 (5ª. edição).

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Entendendo

Uma brincadeira de palavras, que soltas nada significam, mas cheias de intenção, irritam e ferem. A melhor resposta para o orgulho ferido é o silêncio. E o perdão. Não só para com o outro, mas para consigo mesmo. A dificuldade está no pensamento ser mais rápido no lado bom do que no lado ruim; saber como agir é diferente de agir de acordo com o que se pensa. Enquanto meu lado bom avança a passos largos, meu lado ruim pesa, se faz de preguiçoso e desentendido, tornando a tarefa de convencimento um trabalho difícil, quase impossível às vezes.
.
.
“Ela o encarou perplexa, afrontada. O homem, satisfeito consigo mesmo, olhou-a sorrindo com descaramento. Mas qualquer coisa no rosto da mulher fez com que ele pestanejasse numa sensação de desconforto. Como viciados que se reconhecem, ele acabara de ver nela ele próprio. O que foi desagradável. Nela havia aquela coisa que também nele existia, e que ele só não acusou porque nele próprio também doía e porque, quem a tinha, disso sofria. Martim desviou os olhos”.


LISPECTOR, Clarice. A maçã no escuro. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1978 (5ª. edição).

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Ânimo!

Difícil desejar o bem ao outro quando se está triste. Mas é preciso tentar e insistir.
.
.
Piada de pontinho:
O que são 4 pontinhos brancos na garganta?
Pus!
.
.
Dez passos separam o feliz do infeliz.

terça-feira, 12 de outubro de 2010

Testes e mais testes

“Choro e choro e o nó na garganta continua; a vontade de ser útil é tanta que perco o ar, e dói, como dói viver na ignorância e ter consciência disso! Choro pelos sacrifícios feitos e pelos que ainda virão, choro pelo cansaço, mental e físico, choro pela impotência, choro pelo o que falta e que não sei identificar, choro pelo esfoço em vão, choro pelas cobranças, minhas e de outros, choro pela incompetência, choro pela falta de fé, choro nem sei mais o porquê. Tudo começou com a raiva e, agora, de alma vazia e olhos ardidos, repouso ao sol”.
.
.
Acho que vou tirar uma semana de férias. Meu pai recomendou. Será que meu acesso de raiva tem alguma coisa a ver com isso?!

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Frag-men-tos

“Amanhã tenho prova”
“Num sábado?”
“É do curso de línguas”
“Ah...”
“Você nunca vai adivinhar qual!”
“Árabe?!”
“O.o Como você adivinhou??”
.
.
Eu lhes apresento: Clarice!
.
.
Setlist do show de ontem ^^

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Sobre a intenção

A todo momento eu tento tirar lições das pequenas coisas que acontecem comigo. Essa semana vivenciei o poder da intenção nos sons que emitimos, ou seja, quando falamos.

Eu me encontrava transitando entre as pessoas no vagão do metrô, já que o meu ponto seria o próximo. Eu percebi um movimento atrás de mim, uma moça que também se encaminhava, só que quando eu parei na frente da porta, senti um empurrão por trás, era a mochila que mais domava a mulher do que ela mesma o objeto.

E não foi um esbarrão de leve, eu cheguei a ser lançada para frente, sorte que tenho um bom reflexo. A sensação de incômodo e até de desprezo foi instantânea, impaciência mesmo, só que ela pediu “desculpas” em seguida, e todo o sentimento negativo desapareceu!! Eu fiquei supresa, como se eu tivesse recebido um punhado de energia positiva, anulando a energia negativa. Legal, né?!
.
.
Amanhã tratamento novo no Centro espírita, os dois últimos. *ansiosa*

terça-feira, 5 de outubro de 2010

Linhas duplas

Assim como gostar de alguém pode ser ilógico, isto também vale para o ponto oposto: não gostar de alguém. Será que ambos são fruto do orgulho?
.
.
Meu Naked Heat deve chegar em novembro, o único presente que eu queria e que não ganhei ainda. Irônico, não?
.
.
No passo que estou indo, devo ficar presa ao livro da Clarice até o final do ano rs Livro difícil de desbravar.
.
.
Domingo eu me diverti mais do que eu esperava num chat; depende de você mesmo se divertir com as situações fora do seu controle.

domingo, 3 de outubro de 2010

Quem são...

as grandes mentes criativas hoje no Brasil?

Eu não saberia dizer, a criatividade está tão pulverizada, o espaço tão democrático, que qualquer um pode ter uma grande ideia, colocar em prática e não necessariamente ter publicidade. Agora, escolher os criativos entre aqueles que estão na mídia é outra tarefa complicada. Acho que eu não tenho vivência suficiente para enumerar.

...E através de uma pesquisa rápida acabei esbarrando em uma pessoa que me fez acordar para a filosofia novamente. Essa vontade de estudar filosofia estava bem guardada, e acredito que logo será engavetada novamente...até o tempo estar ao meu lado mais uma vez.

sábado, 2 de outubro de 2010

Voto consciente

“Em processo” parece ser a resposta para qualquer pergunta. Quantos anos você tem? “Estou em processo de amadurecimento”. O que você pensa sobre a política no Brasil? “O processo é longo, cheio de altos e baixos, avanços e retrocessos”. O que você achou desse filme? “Achei legal porque me adicionou nesta fase em que estou, ou não gostei porque está totalmente fora do que considero interessante neste momento, mas pode ser que mais adiante seja esclarecedor, e eu perceba que contribuiu para construir um novo pensamento”. Será que tudo é válido? “Sim, tudo faz parte do processo”. A consciência do processo nos dá mais paciência, mais tolerância, pois se passa a enxergar com outros olhos aquilo que conhecemos, novas concepções que rumam para uma consistência única, daquilo que é realmente importante.
.
.
Essa reflexão veio da minha incerteza quanto a algo que eu acreditava. Eu me considerava contra o voto obrigatório, por motivos óbvios: que votem apenas as pessoas interessadas em política, assim seria diminuida a manipulação do povão. No entanto, hoje, encaro de uma forma diferente. Acho que toda a movimentação política ajuda, mesmo que pouco, a conscientizar. Quando candidatos risíveis têm a possibilidade de serem eleitos (vide Tiririca) levamos um balde de água fria na cara e acordamos um pouco para a carência de bom senso do povo. E deveríamos pensar em como mudar.

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Share-Give-Accept

Aprendemos coisas novas todos os dias. O que você aprendeu hoje?
.
.
Aos impacientes, o amor mútuo é fruto do cultivo.

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Grão de areia

Comecei a semana com a sensação de ignorância e pequenez, diante da vivência de outros, e de que há muito a aprender e a se fazer.
.
.
Pergunta: As mistificações são um dos escolhos mais desagradáveis do Espiritismo prático; haveria um meio de se preservar delas?

Resposta: (...) “Os espíritos vêm vos instruir e vos guiar no caminho do bem, e não no das honrarias e da fortuna, ou para servir às vossas paixões mesquinhas. Se não lhes pedisse jamais nada de fútil ou que esteja fora das suas atribuições, não se daria nenhuma presa aos Espírios enganadores; de onde deveis concluir que aquele que é mistificado não tem senão o que merece.

O papel dos Espíritos não é o de vos esclarecer sobre as coisas desse mundo, mas o de vos guiar com segurança no que vos pode ser útil para o outro. Quando vos fala das coisas desse mundo, é porque julgam necessário, mas não o vosso pedido. Se vedes nos Espíritos os substitutos dos adivinhadores e dos feiticeiros, então é que sereis enganados.

Se os homens não tivessem senão que se dirigir aos Espíritos para tudo saber, não teriam seu livre arbítrio, e sairiam do caminhho traçado por Deus para a Humanidade. O homem deve agir por si mesmo; Deus não envia os Espíritos para lhe aplainar a rota material da vida, mas para preparar a do futuro.”

KARDEC, Allan. Livro dos médiuns. Das contradições e das mistificações. Boa Nova Editora, 2004.

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Kiss wanted

É tempo de ousar.

domingo, 26 de setembro de 2010

Provas e expiações

Eu tento me preparar para reagir da melhor forma possível em certas situações, engolir sapos e ser cordial com quem é estúpido. Repito para mim mesma que devo conter a raiva – mas devo transformá-la em quê? O que eu faço com esses sentimentos que afloram e que irritam o meu ser? Também não consigo identificar o que fiz de errado...fiquei apenas com uma sensação de que poderia ter reagido de uma forma melhor, sem saber bem como.
.
.
Não sei bem por que, tão frágil eu sempre me sinto no dia do meu aniversário...

sábado, 25 de setembro de 2010

Festival do Rio 2010

Muitos filmes pra ver e nenhum tempo ou dinheiro pra assistir =P

FOCO ARGENTINA
> A culpa é sua
> O que mais quero
> Quebra-cabeça

MIDNIGHT MOVIES
> No bosque
> Nossa vida exposta

PANORAMA DO CINEMA MUNDIAL
> Minhas mães e meu pai
> Poesia
> Sentimento de culpa
> A solidão dos números primos
> The Boonmee, que pode recordar suas vidas passadas
> Tudo que quiseres
> A última estação

PREMIÉRE BRASIL
> Homem centenário

CURTA HOR-CONCOURS
> Eu não quero voltar sozinho
> Ex isto

NOVOS RUMOS
> Aqui, doido varrido não vai para debaixo do tapete

PREMIÉRE LATINA
> A vida dos peixes

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Aff

De tempos em tempos, eu faço algo para em seguida acabar me reprovando. Sensação de estupidez por venerar certas coisas. Acho que estou precisando de umas férias de mim mesma.
.
.
Beckett: I was just calling you.
Demming: What a coincidence, i was just coming to see you.
Castle: Wow, it´s like we are all on the same case.

[Castle 2x21 Den of Thieves]

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

1/4 de século

Primeiro pensei em reunir aqui as vinte cinco melhores postagens do último ano, no entanto, seriam muitos textos e nem eu mesma tive paciência para escolher. Resolvi escolher então 5 categorias com 5 itens cada, somando 25 interesses. Não quebrei a cabeça tentando colocar em ordem de preferência.

5 livros
Fahrenheit 451
A Maçã no Escuro
O Livro de Areia
Sidarta
Viagem no Espelho (poesia)


5 filmes

O Pequeno Nicolau
Laranja Mecânica
On a Clear Day You Can See Forever
Nosso Lar
Dan in Real Life

5 professores
Hélio Carvalho [Teoria da Arte]
Cláudio Oliveira [Filosofia]
Paula Sibília [Programação de Realidade]
Luis Carlos Lopes [Teoria da Argumentação]
Alfredo Sotto [Física no pré-vestibular]


5 dias deste último ano (2009-2010)
5/10/09
30/11/09
14/03/10

5 personalidades
Jorge Luis Borges
Clarice Lispector
Julio Cortázar
Platão
Herman Hesse

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Presente

Protejam-se da chuva de canivetes, Débora foi dormir cedo hoje! Ela realmente tem me surpreendido esses dias; jogamos xadrez ontem e hoje estudamos inglês, sem nenhuma reclamação. Graças à maturidade!
.
.
Tem alguma coisa importante amanhã? Acho que não...

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Uma única nuvem branca

“(...) Cada qual se sentia hipnotizado pelo o que presenciava, aguçando assim os seus sentidos: o gosto de algodão-doce na boca, a sensação de fofura, paz e tranqüilidade. A alvura proporcionava possibilidades; como recomeçar do zero, sem passado e sem fracassos. Os três experimentavam uma respiração lenta e profunda, fazendo os problemas do dia-a-dia sumirem subitamente dando lugar a um vazio que logo foi preenchido por uma sensação de satisfação e esperança.

Em meio ao alvoroço do fim de tarde que é o Largo da Carioca – do movimento intenso, do trânsito, das buzinas e dos comerciantes gritando suas mercadorias – aqueles três indivíduos tinham sido tocados pela natureza, contemplavam algo tão comum, mas que se fez incomum aos seus olhos, atingindo-os de forma simples, porque eles estavam ainda dispostos a se maravilhar com aquilo que não foi criado pelo homem. O barulho era agora silêncio, ouviam os pássaros cantando nas árvores que povoavam o Largo, sentiam o ar fresco, apesar da poluição concentrada ali.

E como se estivesse de passagem, aquele algodão alvo foi se dissipando, dando fim ao transe tríplice. O executivo olhou para o seu relógio de pulso constatando que tinha ficado parado ali por um minuto, e com a sensação de uma vida inteira. O padre e a menina se entreolharam como se dividissem um segredo e sorriram. Ele respirou fundo e rumou de volta à Igreja, mais disposto a enfrentar suas dúvidas e preocupações.

A menina ficou ainda ali parada um tempo, voltou-se para as árvores e caminhou procurando realmente sentir cada passo que dava. Ao chegar à árvore escolhida respirou profundamente, sentindo-se conectar com a natureza a cada respiração. Finalmente tocou o tronco, primeiro com uma mão e depois com as duas, e fechou os olhos. Uma energia sem igual a atingiu, suas pernas bambearam e, emocionada, chorou.”

Ontem o Globo divulgou os 10 finalistas do Concurso Conto do Rio 2010. Eu tinha mandado um, mas claramente, não foi selecionado. Este é um trecho, quase o conto todo na verdade rs

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Recuperação

"(...) Até hoje tudo que vira fora para não ver, tudo que fizera fora para não fazer, tudo o que sentira fora para não sentir. Hoje, que se rebentassem seus olhos, mas eles veriam. (...) Poucas pessoas teriam tido a oportunidade de reconstruir em seus próprios termos a existência. (...) O que também lhe valeu é que, tendo se habituado ao fato de não ser brilhante, pensou que mais uma vez a dificuldade era apenas sua; de modo que se esforçou."

LISPECTOR, Clarice. A maçã no escuro. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1978 (5ª. edição).

Livro realmente genial.
.
.
Os dias vêm melhorando aos poucos. *Criança é tudo de bom!*
.
.
Nota mental: nunca subestime um encontro com velhos amigos, eles podem surpreender você! E era bem o que eu precisava =)
.
.
“Muitos médiuns reconhecem os bons e os maus Espíritos pela impressão agradável ou penosa que sentem à sua aproximação. Perguntamos se a impressão desagradável, a agitação convulsiva, o mal-estar, em uma palavra, são sempre indícios da natureza má dos Espíritos que se manifestam?

Resposta: O médium experimenta as sensações do estado no qual se encontra o Espírito que vem a ele. Quando o espírito é feliz, é tranqüilo, leve, sério; quando é infeliz, é agitado, febril, e essa agitação se transmite, naturalmente, ao sistema nervoso do médium. De resto, assim é o homem sobre a Terra: o que é bom é calmo e tranqüilo; o que á mau é, sem cessar, agitado.”

KARDEC, Allan. Livro dos médiuns. Identidade dos Espíritos. Boa Nova Editora, 2004.

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Últimos dias

Sabe aquela sensação de que você está prestes a descobrir alguma coisa, algo que vai fazer você mudar? Tenho sentido isso nos últimos dias, mas quando eu acho que estou quase chegando a alguma conclusão, algo acontece e desloca o meu foco.

Esta última semana foi uma loucura, e eu não consigo evitar de sentir-me como o coelho de Lewis Carroll, sempre atrasado. Somente ontem, consegui começar a viver novamente, depois de 10 horas de provas, e várias outras de deslocamentos. Provas de paciência e resistência também, depois de ter perdido minha identidade (civil). O resultado do MPU deve sair no início de outubro; eu já sei que passei, mas classificar é outra história. Largo isso de mão agora, não há mais nada a ser feito.

E foi justamente no deslocamento até Campo Grande para fazer uma das provas que nasceu uma consciência em mim, na verdade uma dúvida, algo que estou tentando organizar para tentar entender, mas ainda está tudo muito cru, só posso adiantar e escrever aqui (até para não esquecer de pensar sobre o assunto) a palavra sociabilidade. Clarice também tem me inspirado nesses questionamentos, mas me falta ócio para digeri-los.

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Lispector e Kardec

"(...)Também ele, montado no cavalo, com o ar apreensivo de quem pode errar, estava atentamente procurando copiar para a realidade o ser que ele era, e nesse parto estava se fazendo a sua vida. E a coisa se fez de um modo tão impossível – que na impossibilidade estava a dura garra da beleza. São momentos que não se narram, acontecem entre trens que passam ou no ar que desperta nosso rosto e nos dá o nosso final tamanho, e então por um instante somos a quarta dimensão do que existe, são momentos que não contam. (...) Queria tanto ser bom que de novo sentiu uma espécie de impotência.”

"(...) Mas Ermelinda bem sabia que ainda era cedo para deixar de mentir e deixar de encantá-lo. Sabia que era cedo para se mostrar a ele, e que poderia afugentá-lo se fosse verdadeira, as pessoas tinham tanto medo da verdade dos outros. Só por meios indiretos conseguiria. A idéia de que, se não o divertisse, ela o afugentaria, apavorava-a: logo agora que já ganhara tanto terreno a ponto de conseguir que ele a ouvisse, mesmo que não a olhasse!(...) Ocorreu-lhe que, ao falar com ele, poderia sem querer deixar escapar o que ela era, e o homem então perceberia quanto ela precisava dele, e por isso não a quereria mais, como acontece com as pessoas. (...) Era um labor de infinita cautela, onde um passo a mais e o homem jamais a amaria, onde um passo a mais e ela mesma talvez deixasse de amá-lo: ela protegia ambos contra o erro. E às vezes mais parecia proteger ambos contra a verdade.”

LISPECTOR, Clarice. A maçã no escuro. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1978 (5ª. edição).
.
.
“As qualidades que atraem, de preferência, os bons Espíritos são: a bondade, a benevolência, a simplicidade do coração, o amor ao próximo, o desprendimento das coisas materiais. Os defeitos que os afastam, são: o orgulho, o egoísmo, a inveja, o ciúme, o ódio, a cupidez, a sensualidade e todas as paixões pelas quais o homem se prende à matéria.”

KARDEC, Allan. Livro dos médiuns. A influência moral do médium. Boa Nova Editora, 2004.

domingo, 12 de setembro de 2010

Pollyanna vibe

Vamos ao lado positivo de se perder a sua carteira de identidade:
* Pelo menos perdi hoje e não ontem, o problema seria maior;
* Minha foto vai mudar;
* Nada de pânico, a carteira de motorista vale como identificação, mesmo fora da validade;
* Pelo menos eu percebi agora e não quando eu fosse precisar;
* Pelo menos eu sei aonde perdi;
* A esperança é a última que morre.

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

E as coisas vão se encaixando...

Tem dias que eu acordo com uma sensação de felicidade, mesmo sem lembrar sonho algum, algo que nunca senti vivendo. Assim que acordo, eu agradeço a Deus pela concessão.

terça-feira, 7 de setembro de 2010

Esgotamento

“Já nem lembrava a última vez que tinha se olhado nos olhos, trabalhava incessantemente, nem estava comendo em casa mais, apenas tomava banho e dormia em sua cama. Até aquele momento. O seu corpo foi tomando conciência, o cansaço foi passando de célula a célula. Parada, no meio do banheiro, respirava profundamente, como se o ar faltasse, parecia respirar pelos olhos. Era tanta energia que fecharam-se, sua cabeça pendia para frente, e o corpo começava acompanhar o movimento, como de uma árvore prestes a tombar. Abriu os olhos, e nem tinha forças para surpreender-se com a sua cor vermelha. Mirou-se no espelho, tentando reconhecer-se; a respiração forçou-a a fechar os olhos novamente, e dessa vez, fez um movimento brusco com o braço, tentando encontrar algo em que se apoiar...agora ela encontrava-se no chão. No dia seguinte, acordou, levantou-se do chão, trocou de roupa e foi trabalhar.”

sábado, 4 de setembro de 2010

Chá?

Não fui por caminhos antes planejados, estaria eu encontrando o destino? Estaria eu encontrando a Clarissa certa? Os personagens de Lewis Carroll são apaixonantes!

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Resquícios de ontem

"Olhos fechados deitados na cama. A massa encefálica inchada a expandir. Ouvidos feridos pelos passos, movimentos, a luz que machuca. O corpo pesado, sem comida no estômago, mas pesado de quê? Vontade de ferir, fazer o mal, para se libertar. O estômago ronca, os olhos, fechados ainda, a cabeça pesada, o cenário não deixa escolhas, seu corpo não mais lhe pertence, é boneco cheio de dor. A respiração engana, o grito está preso. Não há mais homem ali, há bicho, há instinto, há um instrumento de destruição".
.
.
Enquanto os homens se veem às voltas com um possível problema na próstata, nós, mulheres, enfrentamos mensalmente a debilitante condição feminina. Você acharia que nós nos acostumaríamos com algo tão certo e constante, mas é sempre uma dor de cabeça.
.
.
Mood de ontem: improdutiva e feroz.

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Adeus dia de hoje

Este dia de hoje estava fadado a ser ruim. Comecei mal quando fui para aula à toa, tinha aula de tarde, mas valia voltar para casa e estudar do que ficar lá, pensando no que eu poderia estar adiantando, tendo uma aula sem muita importância à tarde.

Para tentar fazer valer o dia, consegui chegar na palestra do Centro Espírita...mas o dia não rendeu o que rendia uma semana atrás, por exemplo. Esse evento me desestabilizou e ainda tive uma surpresa desagradável no final da tarde.

Ai, vontade de sumir. Ainda bem que amanhã é um novo dia.

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Trabalho árduo

Eu não gosto de discursos moralistas, tenho uma certa aversão, eu prefiro passar valores instigando o pensar, de forma que toque realmente alguém sem que o outro perceba. E encontrar a sutileza no discurso é tarefa dificílima! Tenho penado um pouco para ensinar tudo o que aprendi na minha vida, pois que as experiências que passei não podem ser reproduzidas, e mesmo que pudessem, o efeito certamente não seria o mesmo. Os argumentos que respiro não atingem os outros, é preciso o dom do convencimento e da instigação. Como fazer um bêbado entender que a bebida o destrói? A palavra como instrumento é insuficiente, é preciso abrir os olhos, e esse caminho de desenvolvimento me deixa angustiada, não por mim, mas pelos outros, é um receio que tem crescido dentro de mim. Minto, algumas coisas são obscuras no meu caminho, e isso me deixa, às vezes, nervosa, mas já consigo enxegar e identificar pontos a serem melhorados, e isso me alenta um pouco, apesar de perceber também que o caminho é muito longo.

sábado, 28 de agosto de 2010

Pausa para o riso

Cla: Gostou do novo “Karate Kid”, Débora?
Deb: Gostei sim, achei muito bom!
...Em seguida...
Deb: Lembra daquela cena do “Pequeno Nicolau”?
Cla: Tô vendo que você realmente gostou do filme rs
.
.
Febril =/

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Fatia pelo misterjapa

Ou seria Fatia pelo Fatia pelo misterjapa? (cliquem na foto para ir ao site)

.
.
É péssimo rever ex-paixões...então por que não consigo parar de sorrir?

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Mais poesia

Adoro quando a inspiração vem assim de surpresa! \o/

Olho mágico
25/08/10
Que mostra o que queremos ver
Que mostra cenas côncavas, redondas
Cenas pouco nítidas

Um corredor escuro...longo
Uma cena diferente da outra a cada olhadela
Ou uma cena igual, a mesma
Repetidamente...
Até cansarmos

No silêncio da casa,
Quando se prende o ar para olhar,
Quando o seu coração para de bater
Para ver o que se quer

Mas de que adianta só ver?
Eu não quero um olho mágico
Eu preciso viver.

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

27 dias!



.
.

Às vezes eu fico impressionada com o meu corpo...e com o meu jeito interesseiro de ser.

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Poesia mínima

Saudades de uns meses atrás, quando eu estava imersa em poesia. A cada dia eu produzia umas 7 poesias inspirada na poesia de Helena Kolody. Exemplos abaixo:

FIO D’ÁGUA

Não quero ser o grande rio caudoloso
Que figura nos mapas.

Quero ser o cristalino fio d’água
Que canta e murmura na mata silenciosa.

KOLODY, Helena. Música submersa (1945).

SOLIDÃO

Estamos sempre sozinhos
Em nossas horas maiores.

A dor, veneno latente.
Corrói-nos a alma em segredo.

A mais gloriosa alegria
Floresce na solidão.

KOLODY, Helena. A sombra no rio (1951).

Os grandes
02/07/10
Os grandes correm grande risco,
expostos a tudo e a todos.
Valerá a pena?
Ora, somente eles poderiam dizer.

Vida
08/07/10
Ouço pulsar o sangue
Repouso sob a árvore
E sinto-a pulsar
O alimento para os seus galhos mais altos
Será que ela me ouve e sente?
.
.
Promoção “Seja o misterjapa por um dia (ou não...)” Participe!

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Vegan?

Levantei a questão de ser vegetariano em um almoço, e como eu bem desconfiava, vieram com pedras para cima de mim. Acho engraçado eles terem suas opiniões e se fecharem para a discussão, cada um falou, e seus argumentos me pareceram plausíveis, mas ainda sinto uma vontade de experimentar pelas minhas próprias pernas.

Comemos proteína todos os dias, seja carne ou frango, e a minha vontade seria deixar de comer dois ou três dias na semana e sentir o resultado. Meu pai disse que quando jovem passou anos sem comer carne, e não sentia falta, e que teria voltado a comer por praticidade, já que é difícil viver socialmente sendo vegetariano.

O meu interesse neste assunto então seria puramente saber se eu sentiria falta ou não. Minha mãe já usou outro argumento, de que deixando de comer proteína iria diminuir o leque de possibilidades, e a medida que o tempo passa, menos alimentos ela pode ingerir porque começam a fazer mal a ela, como o leite, por exemplo, que ela não pode tomar sem passar mal. Pelo menos carne e frango ainda não fazem mal, e ela diz aproveitar.

Aqui em casa, acho que não somos viciados em comida, buscamos o equilíbrio alimentar, e eu, particularmente, mudei minha postura quanto ao prazer de comer depois de ter lido “Sidarta” do Herman Hesse.

Eu sentia prazer em comer inúmeras pizzas em rodízios, mas depois desse livro, abri os meus olhos para a forma com que eu estava encarando a comida. E essa transformação pela palavra, pelo livro, é umas das coisas mais felizes que há, em cada novo livro que acaba em minhas mãos, eu busco esse mesmo tipo de transformação.

Edit: Vegan x Vegetariano
.
.
“Bem-aventurados os que creem sem terem visto, disse Jesus, porque estes não duvidam do poder de Deus”.

KARDEC, Alan. O livro dos médiuns. Boa Nova Editora, 2004.

domingo, 22 de agosto de 2010

Pausa nos estudos

Débora fazia ontem o Mopi Pensador da escola, enquanto minha mãe lavava a louça antes do almoço; eu estudava no quarto e ouvi a Débora aos prantos falando alguma coisa com a minha mãe. Ouvi palavras como “aquecimento global”, “destruição do mundo” e "inundação do Rio de Janeiro”. Fiquei curiosa, mas só fui saber depois a situação. Na hora, o meu pai a acalmou conversando sobre o assunto.

O caso foi que ontem, a Débora estava super sensível (TPM) e pra tudo chorava. Foi assim com o dever de casa, na hora do almoço e mais tarde também; qualquer discussão que fosse, debulhava-se em lágrimas. Pra animá-la um pouquinho, deixei de estudar pra jogar alguns jogos de tabuleiro. E ela não chorou uma quarta vez.
.
.
Enquete: Você usa fio dental?
Meus pais ficaram abismados quando confessei não usar. Claro, eu uso quando sinto que tem algo entre os dentes, mas não desenvolvi o costume e não sinto a necessidade de usar diariamente. Implicaram comigo, como era de se esperar; perguntei se na minha idade eles usavam e a resposta veio assim, “não tinha no nosso tempo”. Sei...Eles disseram que tudo prende no dente...comigo não...

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Dia atípico

22:06, e só agora que eu consigo respirar. Engraçado associar o respirar com o sentar na frente do computador. É o momento que eu paro e entro em contato comigo mesma. Hoje comi cream cracker com requeijão no almoço, melão de meio lanche e cream cracker com geleia no jantar – assim eu vou sumir. Amanhã estamos (eu e eu mesma) de pé às 6:50.
.
.
É fácil ser grata quando se tem o necessário.

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

I´m nobody

O estudo vai bem, obrigada. Apesar de estar chegando em um momento delicado, quando falta cada vez menos tempo e você precisa manter o maior número de informações dentro da sua cabeça.

A cada dia vejo matérias novas e busco consolidar o que já li e estudei, é um trabalho árduo que necessita de uma organização tremenda: uma hora para matéria nova, uma hora de consolidação de matéria antiga, duas horas para cada matéria específica, mais uma hora de exercícios para cada, uma hora de exercícios para as matérias básicas, tentando distribuir tudo isso pelos sete dias da semana, sem contar as horas no cursinho, dia de semana e fim e semana. Acho que estou pegando o jeito dessa vida de concurseira.
.
.
Provamos cupcake, achamos denso e sem graça.
.
.
Hoje na palestra, falou-se dos reinos: mineral, vegetal e animal; e sobre vegetarianismo – nenhum discurso moralista – apenas apontaram que devemos estar atentos para despertar nossa consciência para os padrões vibratórios do que ingerimos. Adquiri novo repertório de questões a se pensar sobre a alimentação.

terça-feira, 17 de agosto de 2010

domingo, 15 de agosto de 2010

Pensando alto

À medida que eu fui crescendo, fui percebendo que a vida não é como nos filmes. Eu achava que o sonho nos levava a realizar algo que desejávamos, mas o que aprendi foi que o sonho é feito de uma pessoa só, e tarefa impossível é casar o seu sonho com o do outro. Com o tempo, na verdade, o meu sonho foi mudando, as desilusões foram me ensinando a buscar outros sonhos, mais possíveis. Não adianta ficar se martirizando por algo que você deseja; pode ser difícil seguir em frente, mas é preciso quebrar o ciclo vicioso. Autopiedade é nocivo, e afasta as pessoas, só traz infelicidade, quando se poderia estar depositando suas energias em algo mais positivo, para além do egoísmo.
.
.
Você sabia?
O sangue dos crustáceos tem cobre e não ferro como o nosso.

sábado, 14 de agosto de 2010

Duas descobertas

Assim como a Débora, meu pai toma ritalina, mas ele se sente incomodado de ter que tomar um remédio para desacelerar o cérebro dele. Hoje, no almoço, ele dividiu conosco uma experiência que ele tem feito: quando percebe a superaceleração ele para e se esforça para esvaziar a mente, ou seja, medita.

Ele explicou que quanto mais pensamos, mais sucetíveis estamos a influências de espíritos; quando ele falou isso, me pareceu muito claro, porque acontece direto comigo, de em dado momento, perceber entre os meus pensamentos algo que não condiz com a minha forma de pensar, como se fosse um intruso mesmo.

Outra coisa que ele falou, que eu achei genial, foi a questão do pensar fixamente em alguma coisa, de como isso cria um bloqueio, porque fechamos o leque de possibilidades para sugestões. Se queremos muito alguma coisa, não devemos pensar nela sem parar.

E isso do bloqueio, o meu professor de Kung Fu fala toda hora, quando fazemos os movimentos, por mais que a gente queira fazer força, não devemos, pois isso irá prejudicar o fluxo de energia, gerando a dor no local.

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

o.O?

Na vida, ganhamos e perdemos rapidamente. Anteontem ganhei um pijama e ontem o perdi, para no mesmo dia ganhar outro O.o
.
.
Com um roxo gigamenso no braço o.O
.
.
Ninguém merece presenciar o carro da polícia avançando o sinal O.o
.
.
Com as pernas um pouco afastadas, encaixei o quadril e o peito, posicionei as mãos à frente e fiquei...estava tão confortável, que eu estava para além dos limites do meu corpo, meu eu se espalhava, não tinha mais como dizer onde eu estava, tinha sumido do mapa naquele instante, evaporado naquela noite quente. A garganta não estava mais seca...ela não existia.

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

As situações que a gente passa II

Depois da palestra e do passe no Centro Espírita, não sei por que cargas d’água resolvi perguntar sobre o tratamento da desobsessão infantil. No papel falava que era até 10 anos e a Débora tem 11, mas a pessoa com quem falei me incentivou a ir perguntar no local. Eu ia deixar para lá, mas algo me fez mudar de ideia e fui. Só para me aborrecer.

Cheguei, sentei e falei com uma senhora. Eu queria apenas saber se ela poderia ou não se encaixar no perfil, mesmo tendo 11 anos. Quando ela começou a falar, parecia que ela descarregava em mim toda a revolta acumulada de outros que chegam e fazem a mesma estúpida pergunta. Ela perguntou se a criança tinha o corpo desenvolvido e eu falei que sim(poderia ter ficado aí). “Ela tem algum retardo mental?” Não. “Então porque você a trata como criança?” Eu fiquei sem reação, e respondi que achava que criança era até 12 anos. Ela começou a falar que, hoje dia, tinham “crianças” com 12 anos grávidas, e achei aquele julgamento todo desnecessário, sentia muita raiva por parte dela naquele discurso. E não havia meio de a mulher me deixar ir embora. Falou aos montes.

Falei que eu só queria saber aquilo e pronto. Ela então perguntou se eu não achava que ela (Débora) tinha capacidade para fazer o mesmo tratamento que eu, assistindo as palestras. E eu falei que tinha sim, tanto que EU estava fazendo o trabalho de evangelização em casa e que justamente por isso, ela tinha se interessado; mas que ela não tinha tempo para ir ver palestras, que se quisesse, quando fosse mais velha, poderia fazer.

Finalmente, já me levantando, eu disse que não tinha ido lá para discutir, e a senhora surpresa e eloquente, disse aos berros que não estava discutindo, e sim apenas me informando, dando, assim, um sorriso. Ela parecia mais calma, depois de despejar tudo aquilo em mim.

Eu só digo que ela poderia ser mais cordial e menos julgadora. Nem quero que a Débora passe perto daquilo ali.

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Hoje

“Os manicômios e as penitênciárias estão repletos de irmãos nossos obsidiados que, alcançando o ponto específico de suas recapitulações do pretérito culposo, à falta de providências reeducativas, nada mais puderam fazer que recair na loucura ou no crime, porque, em verdade, a alienação e delinquência na maioria das vezes, expressam a queda mental do Espírito em reminiscências de lutas pregressas, à semelhança do aluno que, com recursos deficitários, incorre lamentavelmente nos mesmos erros”.

VIERA, Waldo XAVIER, Francisco Cândido e LUIZ, André. Mecanismos da Mediunidade. Animismo – Animismo e criminalidade. FEB, 1960.
.
.
Minha primeira reação foi analisar o outro, até que me dei conta: talvez eu não devesse ter falado nesse tom, eu tenho que respeitar as vontades dos outros e falar só quando questionada, nada de afobação. Obrigada pelo puxão de orelha.

terça-feira, 10 de agosto de 2010

Adote! [Darla e família]

Trago hoje, a divulgação de uma família inteira! Darla foi encontrada vagando pela estrada de Petrópolis com seus quatro filhotes (Spike, Tara, Bela e Cindy), que eram seis (dois acabaram morrendo). São de porte médio/pequeno e esperam somente suas vacinas e castrações para ficarem disponíveis para adoção. Entre em contato com o GARRA para mais informações!

Sábado passado aconteceu a primeira feira de adoção do GARRA e da SOZED juntos, e foi um sucesso! Foram SEIS adoções do GARRA e TRÊS da SOZED. Parabéns!

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Casa da Ciência - Pi (1998)

O filme da vez, depois de um mês sem cineclube, foi “Pi” e não poderíamos voltar a pensar com um melhor! O palestrante foi Ricardo Kubrusly – poeta, matemático e professor do IM da UFRJ – e a palestra, “A busca do impossível (ainda)”.

Ele começou relembrando posições suas antigas, como ele acreditava que a máquina não poderia pensar, hoje, porém, disse não saber o que pensar, mas que tudo seria possível. Logo no início, percebemos uma figura divertida naquele matemático, cheio de histórias para dividir e nos divertir.

No filme presenciamos a máquina ganhar consciência e o Max (não por acaso chama-se assim, já que ele se achava o escolhido, grifo meu) perdendo a sua a medida que tenta desenterrar as informações que estariam presas na sua cabeça.

O professor adentrou um pouco na história do computador, como originalmente eram máquinas de fazer conta e somente isso; assim como cada máquina é feita para fazer algo específico. (O avião serve para voar, e o carro não, mas não poderíamos fazer um carro voador? Sim, mas não o fazemos).

O homem tinha inúmeras capacidades para a sua sobrevivência e, hoje, somos especialistas, sabemos um montão de pouca coisa – colocação que arrancou risos dos que ali estavam. O computador então tinha uma função especialista, que com o tempo foi se modificando, conseguindo entender melhor os nossos comandos, executando, assim, as tarefas. O computador adquire uma alma diferente, parece máquina, mas tem inúmeras serventias.

O Ricardo ainda falou das inquietudes suscitadas pelo filme, como temos a consciência da morte, como a nossa vida gira em torno de resolver essa qestão da finitude. E quanto mais especialistas nos tornamos mais esquecemos que somos seres que morremos. Busca-se trocar a transcendência pela eternidade, anular o infinito, esquecer da nossa condição corpórea. E o filme nos coloca: ou você compreende ou você vive, defendendo a matemática como lingguagem de Deus.

“É na inutilidade que a matemática se iguala com a arte”, disse ele mais para o final da palestra, depois de ter entrado em toda uma discussão mais matemática e que eu acabei me perdendo um pouco rs Ele ainda falou de verdade indecidíveis, o próprio número transcente“pi”, que existe quando a conta não é feita e somente no círculo perfeito, que por sinal é impossível de se fazer, mesmo com uma máquina japonesa de alta precisão rs
.
.
Próxima sessão do cineclube da Casa da Ciência: 04 de SETEMBRO com o filme VELUDO AZUL (1986) do DAVID LYNCH, e o palestrante JAMES ARÊAS com a palestra DAVID LYNCH: O PULSAR DO TEMPO.

domingo, 8 de agosto de 2010

Busca incessante

Por isso que eu adoro os livros, eu sempre encontro respostas para os meus questionamentos e inquietudes.

(...)“ Torturada por suas próprias ondas desorientadas, a reagirem, incessantes, sobre os centros e mecanismos do corpo espiritual, cai a mente nas desarmonias e fixações conseqüentes e, por que o veículo de células extrafísicas que a serve, depois da morte, é extremamente influenciável, ambienta nas próprias forças os desequilíbrios que a senhoreiam, consolidando-se-lhe, desse modo, as inibições, que em futura existência, dominar-lhe-ão temporariamente a personalidade, sob a forma de fatores mórbidos, condicionando as disfunções de certos recursos do cérebro físico, por tempo indeterminado.”

VIERA, Waldo XAVIER, Francisco Cândido e LUIZ, André. Mecanismos da Mediunidade. Obsessão – Pensamento e obsessão. FEB, 1960.
.
.
Mais do que eu gostaria, eu me forço a sair e viver. Fazer coisas que se diz ser o normal. Sentir-me bem entre pessoas, quando esta não é minha vontade. Repelida por uma força invisível, desconhecida, e que busco entender a todo momento. Vivo para compreender.

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

O trabalho de sensibilizar

Como será que é processo de sensibilizar? Por o que será que as pessoas têm de passar para começar a enxergar o outro e não só a si mesmo? Processo longo...nem deve dar para perceber, já que pequenas mudanças acabam por ser imperceptíveis. Talvez uma palavra? Talvez uma ação ou uma sensação? Talvez uma “desgraça”? Talvez tudo isso junto ou não, seja o suficiente para mudar.
.
.
Constantemente eu me pergunto como drenar o mal em mim sem exercê-lo.

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Neste mês de Agosto

Esta noite sonhei com o Moacyr Luz, para acordar e dar de cara com uma foto dele no jornal. Coincidência?
.
.
Não tem preço ser chamada de inteligente por uma pessoa estranha na rua.

sábado, 31 de julho de 2010

Foi mal. Tô de zuera.

Vícios da linguagem. Eu lembro que na minha época de criança, isso foi sempre tema de debate. Contávamos quantas vezes a professora de história falava “entendeu”, e até cobrávamos de nós mesmos. Tenta aí explicar alguma coisa sem usar “tipo”, “assim”, “aí”. E nos divertíamos! Débora tem essas manias também, só que ela usa “foi mal” e "tô de zuera” como se fosse ponto final. É irritante. Quando não usa um, usa o outro. E faz sem perceber.
.
.
Castle no Comic Con 2010!
.
.
Rio!

sexta-feira, 30 de julho de 2010

Adote! [Bugre]

Bugre tem aproximadamente 15 anos, toma condroitina, se alimenta de ração especial para idosos e de comida pastosa. Desde que abracei esta causa, ouço falar de Bugre; por ser um cão de idade, é bem mais difícil encontrar alguém que queira adotar, mas um cão idoso tem suas vantagens: para alguém que tenha mais idade ou que queira uma companhia quietinha, Bugre é um ótimo candidato. Interessou-se pelo Bugre? Entre em contato com o GARRA.


Gostaria de abrir um parêntesis aqui, o GARRA (Grupo de Ação, Resgate e Reabilitação Animal) foi fundado, recentemente, pela Renata, ela que tinha fundado inicialmente o SOS e agora abraça outro grupo por questões pessoais. Nos últimos emails, tive notícia de simplesmente 33 cães que estão sob a responsabilidade do GARRA, entre adultos, idosos e filhotes (até mesmo recém-nascidos). São muitos cães! Desde já, desejo ótimas adoções neste novo grupo!

quinta-feira, 29 de julho de 2010

Insights

Falou-se, hoje, na palestra do Centro, sobre uma parábola de um homem que tinha largado família e trabalho para esmolar, com o pretexto de viver para Deus. Quando ele desencarnou, ao invés de encontrar um lugar aconchegante e feliz, vagou por terras cheias de tormentas. Então orou fervorosamente para entender o por quê de se encontrar naquela situação, já que tinha feito tantos sacrifícios em vida. Quem veio ao seu socorro foi a esposa que ele havia abandonado, cheia de luz. Ela explicou que ele fugiu às suas responsabilidades, e não cumpriu com o seu dever, abandonando à própria sorte a esposa e os filhos. [Estamos aqui para nos ajudar uns aos outros. Para sermos ajudados é preciso que primeiro ajudemos alguém. ]
.
.
Tive um insight essa semana com o Japa, falávamos sobre diversão e prazer, até que consegui colocar em palavras valores peculiares que tenho comigo, resumindo nas seguintes conclusões:

“Acho que o meu maior prazer É cumprir obrigações, por isso o prazer por prazer fica em segundo plano”.

Isso faz algum sentido?

terça-feira, 27 de julho de 2010

Rito de passagem

Michelli e eu!!!

Finalmente colei grau! Depois de horas editando as músicas da galera, sair atrasada de casa porque Nat e Dé ficaram jogando Lego do HP, passar na ponte sem saber se a gasolina ia dar porque o sistema elétrico do carro emperrou e não queria destravar para abastecer. Foi uma noite TENSA!...Até eu ter terminado de ler o texto do patrono na frente do pessoal, depois disso foi só aproveitar a noite =D Nem reparem na minha cara de cansada hehe

domingo, 25 de julho de 2010

As situações que a gente passa

Das duas uma, ou os meus R$5,00 cairam do meu bolso no percurso casa – metrô, ou o carinha que ficou me encoxando na fila de comprar bilhete me furtou. O pior é ter achado estranho logo de início e não ter feito nada. Fiquei atenta, mas quieta, conjecturando sobre a falta de noção de alguém não saber se comportar numa fila. Que ingênua! Como é difícil perdoar alguém que tenha tirado algo de você sem sua permissão! Tão difícil quanto é se controlar para não desejar que o indivíduo não seja atropelado na saída do metrô. Dai-me forças para perdoar e não desejar o mal a outra alma.
.
.
Deixei de gostar da noite pro dia. Isso não é surpreendente?

sábado, 24 de julho de 2010

Infância

Às vezes eu fico lembrando de coisas peculiares que fiz quando criança...enquanto as meninas da minha turma iam todo fim de semana na Boate Terceiro Milênio - que mudou de nome algumas vezes – eu escrevia cartas para os meus professores, preocupadíssima com a falta de respeito dos alunos dentro de sala de aula e com a ausência de autoridade por parte dos professores. Cheguei até a sentar com a diretora para conversar. Menina doida.

sexta-feira, 23 de julho de 2010

Lembranças de um artista

Hoje esbarrei no Segundo Caderno do Globo, a matéria de capa era sobre o artista Thiago Rocha Pitta e esse nome trouxe à tona lembranças de um trabalho que fizemos para a faculdade. Eu, Livinha e Bel fomos entrevistá-lo na casa dele, e conversamos a tarde toda. Tenho boas lembranças daquele dia, conversamos sobre sua carreira, vimos vídeos-artes, catálogos das exposições dele. Ainda tenho comigo até um pedaço de sua obra que ele, solicitamente, nos deixou levar para mostrar na sala de aula. Engraçado que lembro dele falando de cores, o dia estava nublado e eu acabei dizendo que o cinza transmitia tristeza, só que ele discordou e disse que para ele o cinza era algo bom. Lembro também que ele iria ver Shrek naquele mesmo dia rs Ah, lembranças de um tempo bom.
.
.
Eu nunca disse que escrever era fácil, é mais uma necessidade. Imagine minha frustração por não conseguir usar adjetivos da forma que eu gostaria?

quinta-feira, 22 de julho de 2010

O que você faria por amor?

Nada e tudo. Ainda está para nascer em mim e em você, esse tempo em que não precisaremos mostrar o quanto amamos o outro. O amor irá apenas emanar de cada um, sem precisar de estímulos ou promessas.




quarta-feira, 21 de julho de 2010

Espremendo o limão

Fiquei vazia e era isso que eu temia. Ocupar a mente e o corpo tem lá suas vantagens, mas por outro lado...pensar perde sua força, e me vejo novamente escrevendo sobre a falta do que escrever. Ontem fui gentil e recebi uma gentileza (ou vice-versa), isso me motiva e alegra. Mais uma vez, me vejo às voltas com o esforço, ele está muito perto de ser exigido, ronda-me, como um leão ronda sua presa, espero um pouco ansiosa, mas não estou parada, isso nunca.

terça-feira, 20 de julho de 2010

Duas constatações

Eu lembro de um período muito corrido no início deste ano, eu estava tão cheia de coisas para estudar que era preciso marcar um horário para respirar...foram tempos um pouco obscuros...eu não conseguia ser, o que fez muita falta. Tenho pena daqueles que só tem esse tipo de vida, não sabem o que estão perdendo...é tão bom ter tempo para meditar, pensar e apreciar! Amo o silêncio, de verdade.
.
.
O ciúme é muito do cretino, nem dá vontade de brincar mais.
.
.
Fui de novo no Animamundi, vi "Curtas 10".

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Adote! [Hilda]

Hilda foi resgatada em Guadalupe; até onde eu sei, ela está internada em um PetShop fazendo tratamento para erlichia e se recuperando de uma anemia. Em breve estará vacinada, castrada e disponível para adoção! Entre em contato com o SOSVidaAnimal para saber mais detalhes de como vai essa menina!

domingo, 18 de julho de 2010

Nosso trabalho

Tela branca...de cavalete e tinta. Onde foi que eu vi essa imagem? Mas não foi imagem, foi um sussurro...balbuciaram no meu ouvido...disseram para nos despirmos de nós mesmos, drenar nosso eu, nosso ser, para nos transformarmos em uma tela branca, à espera de.
.
.
“(...) Os médiuns são os intérpretes dos Espíritos; suprem, nestes últimos, a falta de órgãos materiais pelos quais transmitam suas instruções. Daí vem o serem dotados de faculdades para esse efeito. Nos tempos atuais, de renovação social, cabe-lhes uma missão especialíssima; são árvores destinas a fornecer alimento espiritual a seus irmãos; multiplicando-se em número;(...) se, porém eles desviam do objetivo providencial a preciosa faculdade que lhes foi concedida, se a empregam em coisas fúteis ou prejudiciais, se a põem a serviço dos interesses mundanos (...) Deus lhes retirará um dom que se tornou inútil neles: a semente que não sabem fazer que frutifique, (...)”.

sábado, 17 de julho de 2010

Fé, curtas e curtinhas

“(...) Em certas pessoas, a fé parece de algum modo inata; uma centelha basta para desenvolvê-la. Essa facilidade de assimilar as verdades espirituais é sinal evidente de anterior progresso. Em outras pessoas, ao contrário, elas dificilmente penetram, sinal não menos evidente de naturezas retardatárias. As primeiras já creeram e compreenderam; trazem, ao renascerem, a intuição do que souberam: estão com a educação feita; as que tudo têm de aprender: estão com a educação por fazer. Ela, entretanto, se fará e, se não ficar concluída nesta existência, ficará em outra.
A resistência do incrédulo, devemos convir, muitas vezes provém menos dele do que da maneira porque lhe apresentam as coisas. A fé necessita de uma base, base que é inteligência perfeita daquilo em que se deve crer. E para crer, não basta ver; é preciso, sobretudo compreender (...)”.

O Evangelho Segundo o Espiritismo. Sobre a fé.1944, FEB.

Por isso esperar é uma arte, cada um tem o seu tempo. E isso vale para tudo.
.
.
Papo furado me enerva.
.
.
Constatação: para derrubar o homem basta um toque na primeira peça de dominó.
.
.
Acabei de voltar do Odeon, assisti “Curtas 14” com a Bel.