sábado, 1 de agosto de 2009

Em defesa da Mallu Magalhães

Essa semana li umas cartas na Megazine criticando a Mallu, engraçado que as pessoas quando abrem a boca (no caso, escrevem), não pensam em fazer críticas construtivas e agem como uns mal amados. Falam mal do jeito da menina, quando a única coisa que você pode dizer é: eu não gosto porque não é do meu agrado.

Gosto é algo que não existe argumento, você pode enumerar o que agrada ou não, mas desmerecer o trabalho de um artista é pura mesquinhez, acaba virando um discurso vazio e inválido.

Eu dou um certo valor pra letras e a expressão do artista, tem que me tocar pra eu gostar, e a Mallu não me faz pular do chão ou me emocionar, mas não é por isso que eu desmereço o seu espaço conquistado, seja o caso que for, ela está na mídia onde os outros que a criticam gostariam de estar. Arte não tem certo ou errado, são formas de expressão.

3 comentários:

MisterJaPa disse...

Realmente gosto não se discute...

Mas também dá pra fazer algumas críticas. Eu não conheço muitas músicas da Mallu. Mas eu tenho noção que algumas coisas que gosto não têm muita qualidade artística. Acho importante ter isso em mente. Apesar de qualidade ser meio difícil de definir também. Não culpo quem não gosta e fala que é ruim só por causa disso. No fundo é uma forma de expressar que não gosta daquilo. Eu costumo tentar filtrar 'isso é ruim' para 'eu não gosto disso'.

O que importa mesmo é respeitar o gosto dos outros.

E agora vi que você viu 'Apenas o fim', 5 '*', deve ser bem legal. =)
Tava querendo muito ver esse filme.

Cla452 disse...

O que me instigou a escrever foi a falta de cuidado de se criticar, como, " só alguém sem nenhuma noção de música acha que essa menina tem algo de artista..."

"Qualquer lixo é artista"

"As músicas dela são horríveis, e as entrevistas, uma piada."

"O que eu não suporto é que a mídia tenta empurrar goela abaixo algo de tão péssima qualidade".

MisterJaPa disse...

realmente...sem comentários pra esses comentários XD