domingo, 19 de fevereiro de 2012

Nosso lar

(…) “Compreenderá, então, que a água, como fluido criador, absorve, em cada lar, as características mentais de seus moradores. A água, no mundo, meu amigo, não somente carreia os resíduos dos corpos, mas também as expressões de nossa vida mental.” (pág.62)

(…) “E se minha irmã nada acumulou de seu para dar, é justo que procure a contribuição amorosa dos outros. Mas, como receber a colaboração imprescindível, se ainda não semeou, nem mesmo a simples simpatia?” (pág.78)

(…) “Não é possível acender a luz em candeia sem óleo e sem pavio...” (pág.92)

(…) “O homem encarnado saberá, mais tarde, que a conversação amiga, o gesto afetuoso, a bondade recíproca, a confiança mútua, a luz da compreensão, o interesse fraternal – patrimônios que se derivam naturalmente do amor profundo – constituem sólidos alimentos para a vida em si.” (pág. 102)

XAVIER, Francisco Cândido. Nosso Lar. FEB, 1977.

Um comentário:

MisterJaPa disse...

Nossa, nem sabia que ele tava viajando. XD Obrigado pela lembrança. =)