quinta-feira, 9 de julho de 2009

Procura-se um amigo

Hoje bateu uma sensação estranha...uma dessas que vai e volta com o tempo...acho que o que resume bem é o exemplo do que acabei de fazer: deletei cinco pessoas do meu MSN. E o que tem isso de mais? São pessoas que estão sempre online, mas que eu não troco uma palavra tem mais de ano. São pessoas que fizeram parte de minha vida durante um curto espaço de tempo e não mais temos laços, pra falar a verdade, nunca tivemos.

Deletei elas com um pouco de raiva, revolta com as relações efêmeras que produzimos. Eu fico triste porque nossos relacionamentos se baseiam mais em conveniência do qualquer outra coisa. Parece lenda aquelas amizades que apareciam nos filmes, de crianças que ficavam adultas e continuavam amigas, mas aquela amizade profunda mesmo. Você deve saber do que estou falando, não porque tem, mas porque também foi iludido. Não me parece que isso exista realmente.

Parece que se tem mais colegas pra acompanhar do que amigos. Amigos estão em falta. Nem preciso de cinco dedos mais para contar. Ninguém se dá o tempo de conhecer outras pessoas a fundo. Eu cheguei a dizer pra mim mesma que não gosto de gente. Já dizia o Rodrigo lá do meu estágio. E realmente, não existe mais o cuidado da “gente” em cativar os outros, esse tempo foi abolido, e as relações são descartáveis.

Eu lembro de uma vez no ônibus, quando vi duas meninas com uniformes de escola, e uma perguntou pra outra se ela estava bem. Só que ela perguntou com um carinho e preocupação na voz, que chegou a me emocionar. Há quanto tempo que ninguém se dirige a mim dessa forma - só na escola mesmo, e são amigos que se perderam no tempo também.

3 comentários:

MisterJaPa disse...

Lá vai mais um comentário imenso...

Não se entendi bem o que vc quis dizer com 'relacionamentos baseados em conveniência', consigo enxergar dois sentidos aqui, relacionamentos por interesse profissinal, ou relacionamentos que vc acaba fazendo por osmose(colegas de turma). Acho os dois válidos, muitas vezes podem acabar virando amizades de verdade(por incrível que pareça).
E se não fosem essas amizades menores, o que seria das amizades verdadeiras?(O que seria do banco se não fosse o preto?)

hmm, não sei se amizades de infância são só lendas, acredito que algumas continuem sim. Me lembro de quando tinha uns 12 anos que um adulto me falou algo do tipo:'As amizades que vc faz agora não vão durar, só as que vc fizer qnd crescer'. Não é verdade, tenho amigos do tempo de colégio que falo até hj, falo uma vez por mês, mas ainda gosto muito deles, ainda passo horas no telefone. É claro que a maioria não dura, mas sobra algo sim.

É verdade também que os amigos que fiz depois dessa época foram muito mais 'verdadeiros', acho que fiquei mais seletvos, mas continuo com amizades muito antigas, que tinham tudo pra acabar, no mesmo nivel das atuais.

Com certeza todos têm mais colegas que amigos de verdade. Só que pára pra pensar o que faz deles seus amigos de verdade? Acho que depende muito dos dois lados. Se você também não se esforçar, por que o outro lado vai? Eu sempre procuro pensar nos vários pontos de vista, pra não fazer algo que eu não gostaria que fizessem comigo.
E se fizerem algo que eu não goste, mostro que posso fazer algo que eles gostem. Quem sabe eles não colocam a mão na consciência. Devolva um tapa com um beijo.

Acho que é isso que acontece comigo, aqueles que eu admiro e sinto carinho eu procuro sempre manter contato, cativar, mesmo que eles resistam no princípio. Tenho muitos exemplos de pessoas que não foram com a minha cara de primeira, mas que eu conquistei com o tempo.

Não sei se nossos conceitos de amizade batem também. Cada um tem o seu. Não sei nem se consegui passar o que eu estava pensando.

Eu acho que o que eu quero dizer é que eu tenho amigos sim! E eles não cabem nas mãos! /o/
(Nem contei na verdade, mas importa realmente?)

Mas se quiser um amigo, pode contar comigo.(Olha, rimou)

Lili disse...

De tempos em tempos eu deleto pessoas do msn e por incrível que pareça, do orkut tb. Sem remorso nenhum...

Acho que já aceitei que temos poucos amigos e muitas vezes essas amizades são sazonais. O que importa é ter alguém qdo a gente precisa, mesmo que esse amigo só nos ajude uma vez na vida.

Bjs!

Senhori Positoni disse...

É verdade... eu mesmo me dei por fior de esperança em que pensava que as relações se estenderiam pela vida inteira... mas o que tive foi uma mãe que se meteu na amizade, achando que fazíamos muito mal pra filha dela que saía... mesmo sem o grupo habitual de sair... e cmo a filha pro pai é sempre a certa e a dos outros é que é errada, eu e minha outra amiga viramos os errados na história... essa outra também se afastou porque ela jurava que a gente só queria saber de sair pra onde gostávamos e éramos egoistas... tinhamos namoros e não ajudávamos ela a sair com ninguém... daí então resolveu se enclausurar em casa... depois crescemos mais uns 3 meses, paramos completamente de nos ver e perdemos a graça e a intimidade de dizer EU TE AMO um para o outro e dizer que sentimos falta... infelizmente por bobeiras e pedrinhas deixamos que grandes relações sigam adiante em nossas vidas... :S infelizmente!
Mas eu acreditava em amigos...