domingo, 9 de dezembro de 2007

As furadas da Álister

Pra variar Pedro nos meteu em mais uma roubada. Inocentemente, quanto estávamos iniciando nossa viajem para o Alto, em busca dos bombeiros, cantávamos alegremente “DuckTales!”. Procurávamos a Estrada da Paz, mas só encontramos a Estrada do Açude...Fomos adentrando a escuridão naquela estrada vazia e sinistra, mas não tínhamos com o que nos preocupar! A lanterna do celular do Pedro ia iluminar o nosso caminho =PP Depois de voltas subindo, voltávamos sempre a ver a igreja iluminada, não importava pra onde olhássemos. Com a gasolina esvaindo a cada segundo e curva, finalmente, encontramos um portão indicando a tal Pousada Vale Encantado. Buzinamos, esperamos e rimos da nossa desgraça. “Pelo menos achamos, é aqui”. Mais adiante, um bando de crianças fazia algazarra e gritavam “Vocês são os homens da caverna?!”. “Heim?!”

E as coisas só foram piorando, não tinha microfone, mesa de som, as caixas não funcionavam...E nisso, já eram 23:30, sendo que o Ricardo (batera) – nosso salvador, amigo, camarada, que iria nos levar todos de volta pra fora daquele fim de mundo – tinha que entrar no trabalho às 24:00, no Centro da cidade. O “show” acabou 24:05 e rapidinho saímos dali. Muita furada!

Um comentário:

Ricardo disse...

Pior que foi sinistro mesmo. Caramba, todo mundo cheio de medo das criancinhas malucas, do tatuado doidão e da serra sem fim. Ô noitezinha... hehehehehe. Mas sabia que eu até achei legal algumas coisinhas? rsrsss ;o)

Beijos!